Category Archives: Uncategorized

Uncategorized

Conversor de GoodReads para BibTex

Av. Nove de Julho, SP, Brazil

Este programa converte a sua biblioteca do GoodReads para o formato BibTex para ser importado em outos programas de gereciamento de referências.

Uncategorized

Igreja

PORTUGAL-117

Eu não gosto de padre
Eu não gosto de madre
Eu não gosto de frei.
Eu não gosto de bispo
Eu não gosto de Cristo
Eu não digo amém.
Eu não monto presépio
Eu não gosto do vigário
Nem da missa das seis.
Não! Não!
Eu não gosto do terço
Eu não gosto do berço
De Jesus de Belém.
Eu não gosto do papa
Eu não creio na graça
Do milagre de Deus.
Eu não gosto da igreja
Eu não entro na igreja
Não tenho religião.
Não!
Não! Não gosto! Eu não gosto!
Não! Não gosto! Eu não gosto!
(Titãs)

Filmes Resenhas Uncategorized

Star Trek Continues…

Nunca neguei ser um grande fã da série Star Trek e sempre achei a série original a melhor de todas, principalmente porque me faz lembrar da minha adolescência. Como um futuro engenheiro, acreditava que a tecnologia poderia trazer soluções para os problemas do mundo e de alguma forma trouxe. Esse era o mundo da Star Trek e das viagens da USS Enterprise. Fiquei especialmente satisfeito em saber que a série original tem uma continuação, realizada por um grupo de atores e fãs da série.

Como foi previsto na abertura, a série original deveria ter 5 temporadas (five year mission), mas os fracos resultados de audiência da época fizeram encerrar a série no final do 3o ano. A intensão deste grupo é concluir os 2 anos que faltam. O cuidado com a produção e a imagem está sensacional, sem parecer pobre, a continuação procura recriar o clima da série original nas cores, cenário, sons e até nas interrupções para os comerciais da época nos momentos de maior suspense.

O episódio de 50 min chamado de Pilgrim of Ethernity (Peregrino da Eternidade) traz de volta Michael Forest (o Apollo) da série original e faz uma ligação com um episódio da série com metáforas interessantes sobre adoração que poderiam ser estendidas à própria série.

A produção lançou um projeto no Kickstarter para financiar os US$100.000 a sua continuação do próximos 2 episódios, que já possuem trailers disponíveis.

Star Trek Continues V01 “Turnabout Intruder” Vignette from Star Trek Continues on Vimeo e faz uma introdução e ponte que conecta com o último episódio da série original..

Star Trek Continues V02: “You’ve Got the Conn” Vignette from Star Trek Continues on Vimeo.

Queria saber também como vai ser a repercussão da mídia especializada assim como dos outros fãs dos atores originais. Muitos tem posições muito radicais contra refilmagens, sequências ou em favor das muitas sequências da série, incluindo o próprio capitão Kirk da série original. Vamos ver como a filosofia de IDIC (Infinitas Diversidades em Infinitas Combinações) pregada pela série é colocada na prática.

Eu vou aproveitar para assistir a série original para entrar novamente no clima do Star Trek enquanto aguardo os novos episódios.

Vida longa e próspera!

Referências:

Criando um Ringtone da Star Trek

Star trek continues website

Kirkstarter para os próximos capítulos

Fotografia Galeria Uncategorized Viagens

Viagem ao Uruguai, 2011

Edifico Salvo

Estivemos no Uruguai em Maio de 2011 e encontramos um povo muito simpático, acolhedor e um pais muito bonito, com cidades arborizadas e bem charmosas. Ficamos em hotel minúsculo perto da praça da Independência em Montevideo e visitamos as cidades de Punta Del Leste e Colônia. Dois passeios de um dia muito agradáveis e diferentes ao extremo. A comida é honesta e o vinho delicioso, apesar de que pessoalmente prefiro o assado argentino. O clima é frio com muito vento gelado. Recomendo e vou, certamente voltar.

Abaixo segue uma galeria das melhores fotos e as legendas.



Uncategorized

Investimento: Como declarar IR de Aplicação em Ações

Excelente vídeo-aula sobre como declarar Imposto de Renda das Aplicações em Ações. Não é um assunto complexo mas precisa prestar atenção a vários detalhes. A aula é bem explicada e vale o investimento das 1h40m.

link do vídeo no YouTUBE

Algumas dicas:
1. Só se deve pagar imposto se houver lucro. Não se paga imposto se a transação der prejuízo.
2. Nos custos da transação devem estar incluídos os custos de corretagem e taxas. Tanto da compra como na venda.
3. Se houver lucro e o valor total vendido de ações comuns (não vale para opções, futuro ou daytrade) for menor que R$ 20.000 o mês é isento do pagamento do IR.
4. Deve-se calcular separadamente os Impostos de Compra a vista (comum), opções, futuro e daytrade.
5. Para o daytrade não vale a regra dos R$20000,00 e o imposto é calculado em 20% do lucro líquido.
6. Para o mercado a vista, vendido mais de R$20000,00 o imposto é calculado em 15% do lucro líquido.
7. Pode-se transferir o prejuízo de um mes para o outro e abater do lucro líquido.
8. O Imposto é pago até o último dia útil do próximo mês. Transações realizadas me janeiro, tem o seu imposto pago em fevereiro.
9. IMPORTANTE: Mesmo havendo prejuízo, todas as transações devem ser lançadas na declaração anual de ajuste. O lucro, após o pagamento do IR, é declarado como Rendimentos Tributáveis na Fonte.

A aula me ensinou a importância de uma boa contabilidade e organização.

Cultura Geek Uncategorized

O Formato EPUB: Introdução

Com a popularização dos livros digitais é importante saber criar e publicar neste formato. Deve-se descobrir as vantagens e limitações do formato. Além de conhecer a estrutura do formato é importante saber aproveitar suas características positivas e saber superar suas limitações. Este texto apresenta inicialmente a estrutura do formato para sugerir no capítulo 3 um processo de uso do formato.

livro-1

O Formato EPUB é um formato padrão criado pela International Digital Publishing Forum (IDPF). Ele é dividido em três especificações diferentes:

  • Open Publication Structure (OPS), que descreve como o conteúdo deve ser apresentado.
  • Open Packaging Format (OPF), que descreve como os arquivos de conteúdo e recursos são conectados em um todo lógico, em uma publicação.
  • OEBPS Container Format (OCF), que descreve como a publicação é encapsulada em um arquivo ZIP.

Este documento serve como uma breve introdução.
OPS – Open Publication Structure

Esta especificação descreve como os diferentes arquivos de conteúdo do livro devem ser apresetados. A base destes arquivos é o formato XHtml 1.1. Como por exemplo:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8" ?>
<!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.1//EN"
"http://www.w3.org/TR/xhtml11/DTD/xhtml11.dtd">
<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml" xml:lang="en">
 <head>
 <link rel="stylesheet" type="text/css"
   href="../Styles/stylesheet.css" />
 </head>
 <body>
 <p>Primeiro parágrafo.
     Primeiro parágrafo.
     Primeiro parágrafo.
 </p>
 <p>Este é o Segundo parágrafo.
     Este é o Segundo parágrafo.
     Este é o Segundo parágrafo.
 </p>
 <img src="../Images/example_image.jpg">
 </body>
</html>

O format XHTML é um HTML com as regras do XML, mais rigoroso que o HTML tradicional. Com o XHTML o conteúdo é marcado para ser formatado adequadamente pelo visualizador dos livros. O formato de apresentação é descrito pelo estilo CSS que é aplicado ao documento.

O visualizador, como um navegador da internet combina o conteúdo com a formatação para apresentar ao leitor. O CSS define a cor, tamanho da letra. A organização do conteúdo facilita a publicação. Em geral deve-se criar um arquivo XHTML por capítulo, mas isso não é obrigatório. O CSS pode variar também mas em geral é único e garante uma uniformidade na apresentação do conteúdo.

Obs.: O novo formato DOCX do Word da Microsoft é também um arquivo de marcações de um arquivo ZIP, visto como um único documento.

OPF – pen Packaging Format

A especificação descreve como conectar os vários arquivos XHTML, CSS, fonts e arquivos de imagens emu ma publicação. Para isso cria-se dois novos arquivos XML: o arquivo OPF e NCX, descritos a seguir:

O arquivo OPF

O arquivo OPF descreve algumas partes principais da publicação:

  • O metadado — o metadado da publicação: título, autor, linguagem, ISBN,…
  • O manifest — lista todos os arquivos que compõe a publicação;
  • O spine — prove um ordem linear de leitura para os arquios XHTML;
  • O guide — prove um conjunto de referências para alguns dos elementos estruturais da publicação como a lista do conteúdo, o prefácio, a bibliografia, etc.

Exemplo de um arquivo OPF:

<?xml version=”1.0″?>

<package version=”2.0″

xmlns=”http://www.idpf.org/2007/opf” unique-identifier=”BookId” >

<metadata xmlns:dc=”http://purl.org/dc/elements/1.1/xmlns:opf=”http://www.idpf.org/2007/opf”>

<dc:title>Tale of Two Cities</dc:title>

<dc:creator opf:file-as=”Dickens, Charles” opf:role=”aut”>Charles Dickens</dc:creator>

<dc:language>en</dc:language>

<dc:identifier id=”BookId” opf:scheme=”ISBN”>123456789X</dc:identifier>

</metadata>

<manifest>

<item id=”ncx”

href=”toc.ncx” media-type=”application/x-dtbncx+xml”/>

<item id=”chapter001″

href=”Text/chapter001.xhtml” media-type=”application/xhtml+xml”/>

<item id=”chapter002″

href=”Text/chapter002.xhtml” media-type=”application/xhtml+xml”/>

<item id=”loi”

href=”Text/loi.xhtml” media-type=”application/xhtml+xml”/>

<item id=”stylesheet”

href=”Styles/stylesheet.css” media-type=”text/css”/>

<item id=”cover”

href=”Images/cover.png” media-type=”image/png”/>

<item id=”caecilia”

href=”Fonts/caecilia.otf” media-type=”application/x-font-opentype”/>

</manifest>

<spine toc=”ncx”>

<itemref idref=”chapter001″ />

<itemref idref=”chapter002″ />

</spine>

<guide>

<reference type=”loi” title=”List Of Illustrations” href=”loi.xhtml” />

</guide>

</package>

<?xml version=”1.0″?>

<package version="2.0" xmlns="http://www.idpf.org/2007/opf"
unique-identifier="BookId" >
<metadata xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"
 xmlns:opf="http://www.idpf.org/2007/opf">
<dc:title>Tale of Two Cities</dc:title>
<dc:creator opf:file-as="Dickens, Charles" opf:role="aut">Charles Dickens</dc:creator>
<dc:language>en</dc:language>
<dc:identifier id="BookId" opf:scheme="ISBN">        123456789X    </dc:identifier>
</metadata>
 <manifest>
   <item id="ncx" href="toc.ncx" media-type="application/x-dtbncx+xml"/>
   <item id="chapter001" href="Text/chapter001.xhtml" media-type="application/xhtml+xml"/>
   <item id="chapter002" href="Text/chapter002.xhtml" media-type="application/xhtml+xml"/>
   <item id="loi"        href="Text/loi.xhtml"        media-type="application/xhtml+xml"/>
   <item id="stylesheet" href="Styles/stylesheet.css" media-type="text/css"/>
   <item id="cover"      href="Images/cover.png"      media-type="image/png"/>
   <item id="caecilia"   href="Fonts/caecilia.otf"    media-type="application/x-font-opentype"/>
</manifest>
<spine toc="ncx">
  <itemref idref="chapter001" />
  <itemref idref="chapter002" />
</spine>
 <guide>
   <reference type="loi" title="List Of Illustrations"               href="loi.xhtml" />
</guide>
</package>

O arquivo NCX

Outro arquivo que toda publicação precisa é o Navigation Center eXtended (NCX). Que descreve o conteúdo (índice) do livro. Aqui está um exemplo:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<!DOCTYPE ncx PUBLIC "-//NISO//DTD ncx 2005-1//EN"
"http://www.daisy.org/z3986/2005/ncx-2005-1.dtd">

<ncx version="2005-1"
     xml:lang="en"
     xmlns="http://www.daisy.org/z3986/2005/ncx/">

  <head>
    <meta name="dtb:uid" content="123456789X"/>
    <meta name="dtb:depth" content="1"/>
    <meta name="dtb:totalPageCount" content="0"/>
    <meta name="dtb:maxPageNumber" content="0"/>
  </head>

  <docTitle>
    <text>Tale of Two Cities</text>
  </docTitle>

  <docAuthor>
    <text>Dickens, Charles</text>
  </docAuthor>

  <navMap>
    <navPoint class="chapter" id="chapter001" playOrder="1">
      <navLabel><text>Chapter 1</text></navLabel>
      <content src="chapter00l.xhtml"/>
    </navPoint>

    <navPoint class="chapter" id="chapter002" playOrder="2">
      <navLabel><text>Chapter 2</text></navLabel>
      <content src="chapter002.xhtml"/>
    </navPoint>
  </navMap>

</ncx>

os elementos podem apontar tanto para documentos completes como para elementos específicos nestes documentos, estes pontos podem ser aninhados para formar uma hierarquia.
Formato do Container OEBPS


A especificação do OCF define como uma publicação deve ser empacotada. Neste item devem ser tratados os aspectos de criptografia e as diferenças de recuperação, mas a idéia principal é que os arquivos do EPUB sejam arquivadas compactadas em um arquivo ZIP de todos os arquivos da publicação. Os aquivos EPUB também devem ter uma pasta META-INF com um arquivo container.xml apontando para o arquivo OPF da publicação.

Nas próximas postagens vou dar exemplos de como explorar melhor o formato EPUB e criar um tutorial de como criar livros neste formato.

Logo do EPUB

Uncategorized

Fotos de São Roque

vidima2011-20

Minhas fotos de um passeio na estância turística de São Roque.

Uncategorized

Viajem à João Pessoa, PB.

Publiquei aqui as fotos da minha viajem a João Pessoa na Paraíba.

Praia Coqueirinhos, Paraíba, Brasil.

São fotos de turismo, mas com um olhar e um tratamento mais cuidadoso.

Uncategorized

Contra fatos não há argumento: Eu voto Dilma.



Veja o panfleto num tamanho maior!
Via @IlustreBOB

Uncategorized

Fotos de uma tarde de autógrafos com o Prof. Nilson Machado

Tive o prazer de ser convidado no dia 01 de outubro para uma tarde de autógrafos com o Prof. Nilson José Machado. Comemorava-se o lançamento do seu mais recente trabalho: Educação: Microensaios em mil toques Vol II. Um livro breve como todos os bons livros deveriam ser, e curioso pois usa uma analogia impressa aos hiperlinks comuns no nosso mundo digital, motivando uma leitura não linear. Uma boa idéia que começou no Vol. I.

Também se comemorava a 5a edição do livro infantil Bichionário, e da 2a edição do livro Educação: competência e qualidade.

Prof. Nilson José Machado

Os amigos e alunos se reuniram para parabenizar o professor na Livraria Cultura, e eu aproveitei para tirar algumas fotos do evento. Com as fotos fiz um Slideshow, em sua homenagem.