A empresa como tema de pesquisa: um bom caminho?

Muitos alunos me procuram com desejo de combinar a sua pesquisa de mestrado com o trabalho que realizam na suas empresas. Em uma primeira vista esta abordagem parece correta, especialmente em um mestrado profissional, mas existem alguns riscos nesta opção, e algumas possibilidades de abordagem que eu procuro descrever a seguir.

 

Riscos
Um risco importante, que a seleção do problema na empresa possui, é a dinâmica própria das empresas e dos profissionais. Deve-se lembrar que uma pesquisa vai levar no mínimo um ano, e os problemas nas empresas mudam muito neste período o que pode fazer o aluno perder o interesse. As pessoas também podem mudar de emprego e o problema que era importante em um momento passa a não existir mais. Se o problema  não estiver bem classificado ou o emprego não estiver consolidado, melhor talvez seja separar as duas coisas. Pode-se sempre assumir o risco de se a empresa mudar, ou mudar a empresa, a pesquisa deve continuar. Acomodar a pesquisa à nova empresa é impossível e o risco passa a ser de não se conseguir acabar no prazo. O tamanho do problema é outro risco, problemas reais tendem a ser grandes e complexos e a sua solução definitiva pode não ser obtida no prazo da pesquisa. É bom o pesquisador estar consciente das limitações de que o prazo impõe no trabalho, antes de começar, e aceitar que pode não conseguir resolver o problema da empresa completamente.

Do ponto de vista metodológico a empresa pode colaborar na pesquisa 3 formas diferentes: motivador da pesquisa, objeto de pesquisa ou como um ambiente para validar a pesquisa.

Motivador da pesquisa
A empresa possui um problema que motiva uma pesquisa científica, em geral usa-se um método chamado pesquisa-ação. Podemos pegar um problema “real” e fazer a pesquisa para analisar e tentar resolver o problema de uma forma “científica”. A relevância da pesquisa vai depender da relevância do problema para a comunidade. Este relevância pode ser detectada em publicações. Existem artigos relatando este mesmo problema e propondo soluções? Existem problemas/soluções parecidos em outras áreas (analogia) que podem usadas como referência? Deve-se observar que o problema/solução não pode ser o “Fazer o arroz com feijão direito”, ou seja se a empresa não usa corretamente os métodos e ferramentas comuns de mercado, a solução é óbvia. Por exemplo: Temos problemas com requisitos mal definidos, mas não fazemos um levantamento correto dos requisito; solução: faça um levantamento correto dos requisitos.

Objeto de pesquisa
Neste caso supomos que a empresa possui uma característica de interesse científico, por exemplo: usa uma técnica ou método relevante em um problema interessante. Este tipo de pesquisa chama-se estudo de caso (ref.: Robert Yin, Estudo de Caso). A pergunta mais importante é: Temos um caso relevante para estudar? O que foi realizado nesta empresa que tem interesse para outras empresas? Foi realizado de uma forma “academicamente correta”, usando métodos critérios aceitos pela academia/mercado? Por exemplo, Podemos estudar uma empresa que implantou uma método Scrum, se ela realmente implantou o Scrum. Mas não existe um estudo de caso se a empresa implantou um método de desenvolvimento próprio sem nenhuma referencia externa. Existe uma referência acadêmica sobre o que foi realizado? Existe um padrão publicado sobre o que foi realizado? Novamente as referencias bibliográficas podem ajudar a definir se existe um caso a estudar ou não.

Experimento de pesquisa.
O pesquisador usa a empresa como um experimento que confirma/ou não os resultados de uma pesquisa. Esta é uma pesquisa experimental (ref.Wohlin, C.; Experimentation in software engineering: an introduction). Neste caso a pesquisa está livre para seguir o seu próprio caminho. Ela foi justificada com uma motivação própria, foi elaborada uma proposta e foi projetado um experimento para se validar a proposta. A empresa pode servir de berço para o experimento. As perguntas neste caso são: o ambiente da empresa é coerente com o problema da pesquisa? É possível se projetar um experimento controlado na empresa? Podemos obter dados (medidas) objetivas do experimento? De algum modo este estudo é um estudo de caso da proposta da pesquisa e pode ser usado em complemento à primeira proposta.

Vale observar que as três abordagens podem se combinar, gerando uma pesquisa mais completa e ao mesmo tempo muito mais complexa do que um estudo focado em uma abordagem só. Em qualquer caso, minha sugestão é analisar qual é o cenário mais apropriado, fazer uma pesquisa bibliográfica que vai confirmar se a escolha foi correta, elaborar um Projeto de Pesquisa e permanecer alinhado a esta proposta até o fim.

Comments are closed.